Baixa Autoestima – Mais Perigosa que Você Pensa

Baixa Autoestima Mais Perigoso que Você Pensa

Oi criatura tudo bem?

Estava conversando com uma amiga, e falamos de vários assuntos, mas um ficou “martelando” na minha cabeça, ela comentou , como sua autoestima estava baixa, o quanto se achava feia, acima do peso e velha, mas o que realmente me chamou a atenção foi quando mencionou que em um período de 40 dias já havia pintado o cabelo 3 vezes, por sempre alguém dizia que gostava dela com tal cor de cabelo, ou que tal cor ficaria bom ela, e por conta disso ela acabou mudando a cor do cabelo 3 vezes. Isso me fez pensar nos perigos pode haver, em querer agradar a todo mundo, em não se sentir bem consigo mesmo, em se importar demais com a opinião dos outros, e como dependência de ser aceita pode se tornar algo mais grave como uma depressão por exemplo.

Baixa Autoestima Mais Perigoso que Você Pensa

Autoestima

É o que você pensa e sente sobre vocês mesmo. Quando a pessoa está com a autoestima elevada não valoriza a opinião de outros além do essencial, ou seja, não mudam seu jeito de ser, de se vestir, em prol da aprovação alheia.

Baixa Autoestima

Normalmente nossa autoestima fica em baixa quando terminamos um relacionamento, após uma demissão inesperada, ao notar uns quilinhos amais, ou ao perceber que nossa vitalidade já é como antigamente. Com todas essas questões fervilhando na nossa mente, podemos nos sentir inferiorizados em relação a outros, nos comparando aqueles que estão ao nosso redor ou mesmo aqueles que seguimos nas redes sociais. Em época que nossos desejos estão estampados na tela do celular, na palma da nossa, não alcançar esse sonho ou esse desejo, pode nos deixar para baixo, triste e até frustrados, nos fazendo duvidar da nossa própria competência para conquistar algo, nos inferiorizando em relação a outros, sendo autocríticos.

Quando a Baixa Autoestima começa a ser PREOCUPANTE

A um primeiro momento os sentimentos listados acima, podem parecer banais, e corriqueiros, e é normal por vezes termos essas inseguranças e frustrações ao longo da nossa vida, quem nunca?! No entanto,  quando esse tipo de sentimento começa a ser algo ROTINEIRO, e por dura longos períodos, afetando até mesmo o convívio social com família, amigos próximos, trabalho etc,  aí sim é algo a se preocupar, porque essa pessoa se sente tão inferiorizada e vê tantos pontos negativos nela mesma, que evita o convívio social por medo de expor uma opinião e não ter uma boa aceitação por parte dos outros, por exemplo, ou evita sair de casa com medo de a acharem feia, gorda, velha, “brega”, esses medos ocorrem devido a uma visão extremamente distorcida dela mesma, vendo sempre as coisas do ponto de vista negativo, e acha que os demais também só veem esses pontos negativos, e isso desencadeia uma série de problemas, se não for cada vez mais se acentuado e sem a devida ajuda.

Baixa Autoestima e a Depressão

PRESTE ATENÇÃO! Não é por que EVENTUALMENTE a autoestima está baixa que obrigatoriamente tem depressão, NÃO É ISSO! Porém observe se ocorre com  frequência e por longos períodos, se for algo passageiro um dia aqui outro lá, tudo bem, é normal, mas se não, fique de olho.

Baixa Autoestima não é doença, mas pode desenvolver distúrbios emocionais, como, entre outras:

  • Transtorno de Ansiedade: Não confia em sua capacidade de realizar algo sozinha ou bem feito, tem ansiedade com o que os outros vão pensar, com o futuro etc.
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (T.O.C): Acredita que tudo o que faz precisa ser perfeito.
  • Distúrbios Alimentares: Acreditam que seu valor está ligado ao corpo, aparência, sofrendo de anorexia e bulimia.
  • Dependência Emocional: Aceita comportamentos de outras pessoas, que normalmente ela não aceitaria.
  • Depressão: Veem a si mesmos sem valor, inferior aos demais, vítimas, inútil.

Ressaltando que a depressão e os distúrbios emocionais mencionados, não ocorrem unica e exclusivamente por causa da baixa autoestima, essas doenças são complexas e extremamente sérias e, por tanto, PRECISAM ser diagnosticas e tratadas por profissionais competentes como psicólogos ou psiquiatras.

Como Combater a Baixa Autoestima

Muitas vezes está além de um corte de cabelo, ou de ma roupa nova, você precisa mudar a forma que você se vê, a pessoa que é, isso exige dedicação.

  • Pare de se comparar a outras pessoas, com o corpo que elas tem ou com os bens materiais que adquiridos, lembre-se que cada pessoa tem seus pontos fortes e pontos fracos, e cada um passa por situações diferentes ao longo da vida. Também pare de se comparar com você mesma, ” Ah! quando tinha tantos anos era assim ou assado e olha como estou hoje”, o tempo passa e todos nós mudamos, olhar sempre para o que era e não ver o ponto alto dos anos vividos geram frustração e ansiedade.
  • Pontos Positivos: Quando foi a ultima vez que você pensou nas suas qualidades? Os pontos fortes e admirados na sua personalidade? Faça uma lista das suas qualidades, aliás, te desafio a listar 10 qualidades da sua personalidade, e 10 características físicas que você gosta em você. Verá que é uma pessoa maravilhosa.
  • Quais as suas conquistas? Liste todas as realizações que já teve, seja no trabalho, na família com os amigos, cada momento que se tornou especial, de alguma forma, na vida de alguém.
  • Esqueça os rótulos: Lembre-se de todas as vezes que fez a diferença na vida de uma pessoa, família e/ou amigo.
  • Tire tempo do seu dia para algo que dá prazer
  • Reserve tempo para se cuidar, passar hidratante, hidratar os cabelos etc. tenha um momento apenas seu, para se olhar, se cuidar, fazer um carinho em você mesma.
  • Faça exercícios físicos, nem que seja uma caminhada de leve. O exercícios físico aumenta a oxigenação nas células, libera endorfina e isso faz com que se sinta bem após a pratica.
  • Fuja daquelas pessoas negativas, pessimistas, que tendem a colocar para baixo. Prefira pessoas positivas, que vejam o lado bom da situação e procurem a solução ao invés de focar e intensificar o problema.
  • Aprenda um hobby, pode ser um artesanato, costura, desenho, em fim ocupe sua mente e faça ela trabalhar, já ouviu o ditado ” mente vazia oficina do diabo”? Pois é.

Se nada disso ajudar, busque ajuda, não precisa ter medo ou vergonha, são profissionais capacitados para te ajudar, sem te julgar.

 

Espero que tenha gostado do post, embora seja um assunto pesado, e totalmente diferente do que costumo trazer, mas achei um tema importante para trazer, por ser algo que muitas vezes não nos damos conta.

Me acompanha nas redes sociais, sempre trago novidades, resenhas e curiosidades do universo feminino, os links estão no rodapé.

Beijinhos até o próximo post.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s